terça-feira, 27 de outubro de 2015

VITÓRIO REAFIRMA QUE BAHIA DEVE ROMPER LIMITE PRUDENCIAL COM DESPESA DE PESSOAL

O secretário estadual da Fazenda, Manoel Vitório, voltou a sinalizar que a Bahia deve ultrapassar o limite prudencial com despesa de pessoal em 2015. “Acho que é uma tendência que a Bahia rompa o limite prudencial. Dificilmente nós não iremos romper o limite prudencial esse ano”, admitiu Vitório, que já havia dado tal indicativo durante apresentação do relatório do segundo quadrimestre deste ano.

De acordo com o titular da Sefaz, no entanto, a Bahia tem mantido uma situação de equilíbrio fiscal, porém, caso a crise se agrave, não está descartada a hipótese de adoção de medidas como o parcelamento de salários e a procrastinação de despesas. “Temos tido um planejamento e uma atuação do ponto de vista fiscal para garantir que isso não chegue a esse ponto. Agora é um exercício de todo o dia”, apontou nesta terça-feira (27).


O cenário, segundo Vitório, é delicado. “Há uma expectativa de talvez esse ano não consigamos efetivamente fazer um resultado primário positivo”, completou o secretário. Caso se confirme o descumprimento do limite prudencial, segundo economistas consultados pelo Bahia Notícias, uma das consequências pode ser a suspensão de eventuais empréstimos já autorizados pela Assembleia Legislativa ou até mesmo o atraso no pagamento de parcelas de operações de créditos realizadas.

Nenhum comentário:

terça-feira, 27 de outubro de 2015

VITÓRIO REAFIRMA QUE BAHIA DEVE ROMPER LIMITE PRUDENCIAL COM DESPESA DE PESSOAL

O secretário estadual da Fazenda, Manoel Vitório, voltou a sinalizar que a Bahia deve ultrapassar o limite prudencial com despesa de pessoal em 2015. “Acho que é uma tendência que a Bahia rompa o limite prudencial. Dificilmente nós não iremos romper o limite prudencial esse ano”, admitiu Vitório, que já havia dado tal indicativo durante apresentação do relatório do segundo quadrimestre deste ano.

De acordo com o titular da Sefaz, no entanto, a Bahia tem mantido uma situação de equilíbrio fiscal, porém, caso a crise se agrave, não está descartada a hipótese de adoção de medidas como o parcelamento de salários e a procrastinação de despesas. “Temos tido um planejamento e uma atuação do ponto de vista fiscal para garantir que isso não chegue a esse ponto. Agora é um exercício de todo o dia”, apontou nesta terça-feira (27).


O cenário, segundo Vitório, é delicado. “Há uma expectativa de talvez esse ano não consigamos efetivamente fazer um resultado primário positivo”, completou o secretário. Caso se confirme o descumprimento do limite prudencial, segundo economistas consultados pelo Bahia Notícias, uma das consequências pode ser a suspensão de eventuais empréstimos já autorizados pela Assembleia Legislativa ou até mesmo o atraso no pagamento de parcelas de operações de créditos realizadas.

Nenhum comentário: